segunda-feira, 25 de outubro de 2010

...

Chove lá fora. Mas uma promessa de sol espreita a um canto do Mundo.
O chão reflecte um falso brilho e as folhas acabadas de cair da árvore ainda sorriam à luz.
Nós continuamos o nosso caminho... repetido... diário.
Uma formiga atravessa-se à frente dos nosso pés a grande velocidade.
Travamos a marcha para não a pisar... voltamos a travar a marcha para respirar fundo os cheiros de mais um dia.


Texto escrito para o desafio sobre o Cheiro da Chuva, da Fábrica das Letras

1 comentário:

  1. Se todos respeitassem a formiguinha...pena que não seja assim.
    Beijinhos

    ResponderEliminar